Origem


A raça Hampshire Down teve como berço os condados de Wilts, Hants e Dorset, no sul da Inglaterra, região bastante fértil e levemente ondulada, conhecida popularmente como West Downs. Os seus ancestrais eram ovinos primitivos que pertenciam a duas raças: Wiltshire que eram grandes, com cara e patas sem lã, com chifres recurvados para trás e os Berkshire Knots que possuíam a cara e patas negras.    Ambas apresentavam animais de corpo estreito, com pernas longas, prolíferos, rústicos, mas com pouca cobertura muscular e procurando melhorar a aptidão carniceira destes ovinos, criadores aperfeiçoaram o sistema de alimentação e iniciaram os cruzamentos com a raça Southdown, que foi introduzida nos rebanhos Wiltshire e Berkshire no início do século XIX. A partir de 1845 o conceito de precocidade, qualidade e engorde modificou o sistema de criação, iniciando o aperfeiçoamento desta raça, cujo principal cultor na época foi Mr. Wm. Humphries, que conseguiu fixar um tipo bastante uniforme mediante o emprego de consanguinidade e em 1889 foi criada na Inglaterra a "HAMPSHIRE DOWN SHEEP BREDERS ASSOCIATION" com sede em Salisbury, em 1890 editou-se o primeiro Flock Book do Hampshire Down.

Aspecto Geral

Ovino de tamanho grande, conformação harmoniosa, constituição robusta, compacto e musculoso, evidenciando à primeira vista grande definição racial e sua especialização como produtor de carne, sendo ainda um animal que denota vivacidade, agilidade e desembaraço.

Cabeça

Grande, larga (mas não tosca), mocha (ambos os sexos), deve evidenciar acentuada definição sexual e a lã deve cobrir a cabeça até um pouco abaixo dos olhos, deixando totalmente livre a cara e os lacrimais, sem jamais prejudicar a visão.    A cara, as orelhas e todas as demais partes da cabeça que não forem cobertas de lã devem apresentar pelos escuros aproximando-se do preto, o focinho, lábios e ao redor das pálpebras devem apresentar pigmentação escura com tendência ao preto e com orelhas longas, espessas, bem implantadas horizontalmente na cabeça com pontas ligeiramente arredondadas.

Pescoço

Forte, medianamente comprido, musculoso e bem implantado sustentando a cabeça erguida sobre a linha superior do corpo.

Paletas

Fortes, afastadas entre si formando um mesmo plano com os costilhares e não devem apresentar saliência ou depressões em relação a linha de lombo e costilhares.

Peito

Largo, bem desenvolvido e profundo.

Corpo

Comprido, profundo e simétrico, com costelas bem arqueadas, dorso e lombo em linha reta, largos e bem cobertos de carne, flancos cheios, cruzes no mesmo nível do dorso e lombo, anca ampla e nivelada, cola inserida no mesmo nível do lombo, com quartos profundos, cheios, largos e bem desenvolvidos.

Membros

Comprimento relativo ao corpo, com articulações fortes e bem definidas, aprumados e bem colocados em relação ao corpo, com cascos bem formados e pretos.

Pele

Flexível e de cor rosada.

Velo

Tem boa extensão, cobrindo bem o corpo, parte da cabeça, membros (até a altura dos cascos), deixando descobertos os joelhos, que são cobertos por pelos pretos e o velo é denso, mas de mechas curtas e de pouco toque.

O diâmetro médio das fibras de lã varia entre 27 e 31 micrômetros, o que na Norma Brasileira de Classificação de Lã Suja corresponde as finuras Cruza 1 e Cruza 2, já tendendo para a Cruza 3. A lã é branca, com mechas que atingem um máximo de 10 cm nos animais de plantel, 5 a 7 cm nos animais de rebanho, com ondulações irregulares e pouco nítidas, tem grande tendência ao aparecimento de fibras negras entremeadas no velo, sendo mesmo admissível no pescoço perto da cabeça e extremidades, sendo que o excesso é considerado defeito.

Aptidões

- Raça especializada na produção de carne.
- Boa capacidade de adaptação aos diferentes meios e regimes de criação.
- Precoce: cordeiros bem alimentados atingem 35 Kg de peso vivo aos 3 ou 4 meses, com rendimentos de carcaça de 45 a 50% com pesos de 14 a 18 Kg.
- Carcaça de boa qualidade.
- Boa fertilidade e prolífera, atingindo índices de nascimento de 140%.
- Muito indicada para cruzamentos industriais.

Defeitos

- Chifres.
- Manchas e fibras pretas pelo corpo.
- Obstrução do canal lacrimal em função de excesso de lã na cara, dificultando a visão.
- Anca muito inclinada (caída).
- Quartelas muito inclinadas (sentadas).
- Malformações bucais.
- Suarda amarelada, lã de cor atípica ou fibras meduladas.
- Cascos com manchas brancas.
- Pele excessivamente frouxa debaixo do pescoço formando rugas.
- Constituição muito débil.
- Desvios acentuados da coluna vertebral.
- Órgãos sexuais anormais.