Origem

O Karakul pertence ao grupo de ovinos de cola (cauda) larga, adiposa, constituído por grande número de raças espalhadas pela Ásia Menor, estendendo-se pelo sul da Ásia até a Índia e mesmo até a China. Considera-se como região de origem as estepes e semidesertos de Bukhari, hoje parte de Uzbequistão, e as regiões no norte do Irã e do Afeganistão, onde já existia a 1.000 anos.
A finalidade do Karakul é a produção de peles, é do cordeiro abatido nos três primeiros dias de vida, que se obtém a nobre pele conhecida por ASTRAKAN (que é o nome de uma cidade do Mar Cáspio onde os franceses adquiriam suas peles), os primeiros exemplares chegaram a América do Sul, foi através da Argentina em 1914, sendo que em 1931 foram importados para o Rio Grande do Sul pelo Dr. Joaquim Francisco de Assis Brasil.

Aspecto Geral

É um ovino de tamanho médio, relativamente pouco pesado, vigoroso, alerta, de conformação muito angulosa, corpo piriforme, trazeiro mais alto e volumoso que o dianteiro, ostentando uma cola muito grossa.
Quando adulto tem corpo coberto de pelos compridos e entremeados com lã mais curta, a cabeça e membros cobertos de pelos curtos e brilhantes, sendo uma raça especializada na produção de peles de cordeiros conhecidas mundialmente pela denominação de "Astrakan".

Cabeça

Pode ser mocha ou aspada em ambos os sexos (mas geralmente os machos são aspados e as fêmeas mochas), os chifres têm distintas formas e tamanho, desde os aspiralados e grandes até os levemente curvos e pequenos, a cabeça é proporcionalmente pequena, comprida e estreita de perfil fronto nasal (ou somente nasal) geralmente convexilíneo, as orelhas de textura fina, compridas, largas e pendentes, cobertas de pelos curtos e lustrosos, com velo que atinge somente a parte posterior e superior da cabeça (bem acima da linha dos olhos), pelos curtos e lustrosos a cara, orelhas e mandíbulas, variando em cor de acordo com a variedade a que o animal pertence.

Pescoço

Comprido, fino e erguido.

Corpo

Comprido e piriforme, com o posterior mais largo e elevado que o anterior, peito estreito e deprimido, paletas finas e convergentes formando uma cernelha estreita e um pouco saliente, costelas compridas com pouco arqueamento, apresentando a linha do dorso lombar um pouco deprimida (com forte depressão atrás das cruzes) e a anca muito ampla e bastante inclinada. Tem cola de inserção muito larga, de formato triangular (formato de lira), comprida e com a ponta torcida em "S", armazenando grande quantidade de gordura (chegando a pesar mais 6 Kg), a parte interna da cola tem a pele completamente livre de lã e pelos.

Membros

Compridos, com ossos finos e maus aprumos. Os membros posteriores são mais compridos que os anteriores, são completamente desprovidos de pelos compridos e lã, mas são cobertos de pelos curtos (iguais aos da cara e orelhas) e cascos pretos.

Variedades

O Karakul, ou melhormente, a pele Astrakan de acordo com a cor tem as seguintes variedades:
- "Arabi": Preto (várias nuances), todos os pelos são pretos, em todo o corpo.
- "Shiras": Cinza, variando desde o cinza claro até o escuro e o azulado. Esta cor é formada de pelos pretos ao lado dos brancos, sendo que a proporção de cada cor determina a tonalidade de cinza.
- "Konbar": Marron, variando desde o bege até o café e todos os pelos são da mesma cor.
- "Sur": Tons de ouro, platina, bronze e antracita, com reflexos metálicos, onde, cada fio de pelo apresenta duas tonalidades de uma cor: a base é mais escura e a extremidade é mais clara.
- "Guligas ou Halili": Rosa ou lilás, são pelos marrons que podem ser de diferentes tonalidades, ao lado de brancos, sendo que também aqui proporção de cada cor determina a tonalidade.

Velo

Como ocorre nos ovinos selvagens ou pouco aperfeiçoados, o velo do Karakul adulto tem a particularidade de apresentar pelos grossos e lã fina entremeados, cobrindo todo o corpo, com exceção da cabeça e extremidades, sendo do tipo aberto e com mechas de formato cônico ou em ponta, alcançando comprimentos de até 20 cm.
A lã do borrego Arabi, que é o mais numeroso (cerca de 80% de todos os Karakul), adquire ainda no primeiro ano de vida uma tonalidade acastanhada, ou então forma-se em se velo pelos individuais brancos ou cinza (o velo vai clareando com a idade) e alguns animais apresentam velo cinza escuro até uma idade avançada, já outros aos dois anos são de uma tonalidade cinza prateada.
As variedades Shiras e Konbar geralmente mudam para o esbranquiçado e a cara, as orelhas e as pernas (que são cobertas de pelos curtos e não de lã), conservam-se em adultos na cor original do cordeiro ao nascer.
O Karakul pertence às raças de "lã mista", isto é, o velo se compõe de dois tipos de fibras:
- Fibras compridas, de 11 a 18 cm de comprimento e de 65 a 80 micrômetros de diâmetro (que alguns autores consideram pelos).
- Fibras mais curtas e muito mais finas com 5 a 8 cm de comprimento de 30 a 35 micrômetros de diâmetro, que se encontram misturadas com os pelos, e alguns autores denominam de lã legítima.
O conjunto destes dois tipos de fibras resulta em mechas de forma cônica, semelhante às de ovelhas crioulas, a proporção de lã e pelos longos determina a qualidade dos rolos que o cordeiro teria, sendo que o ideal seria a proporção de 30 a 35% de lã para 65 a 70% de pelos.

Aptidões

- Rústica e sóbria.
- Adapta-se a diferentes climas, com exceção dos muito úmidos.
- Produtora de peles de cordeiro, de grande valor na indústria peleteira.
- Conforme o cordeiro seja abatido até os 3 dias de vida ou nonato a pele recebe a denominação de Astrakan ou Breitschwanz, sendo esta última muito mais rara e cara.
- A carne é praticamente isenta de gordura e muito saborosa.
- A cola é muito gorda e se constitui numa reserva destinada a suprir o animal nos períodos de carência alimentar,.
- Constitui alimento base e muito apreciado por certos povos.

Defeitos

- Conformação não harmônica com muito revestimento de carne.
- Cola fina, ou mesmo grossa mas sem o formato típico em lira e a terminação em S.
- Velos com mechas muito onduladas ou com muita lã.
- Constituição muito robusta com ossos grossos.