28/10/2020

 

Um dos mais tradicionais produtos da ovinocultura no Ceará, a Manta de Carneiro dos Inhamuns, vai ganhar um impulso em 2021. A Embrapa Caprinos e Ovinos (Sobral-CE) promoverá um conjunto de capacitações para funcionários de abatedouros, produtores rurais e técnicos de extensão rural da região, com objetivo de preparar o setor produtivo para que a Manta possa receber o Selo ARTE, certificação do Governo Federal para produtos de origem artesanal, que facilitará sua comercialização em território nacional.

As capacitações serão organizadas por meio de projeto integrado da Embrapa e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), com previsão de três cursos: capacitação em boas práticas agropecuárias para criadores de caprinos e ovinos e técnicos de extensão rural locais; capacitação em boas práticas de abate para funcionários de abatedouros da região; capacitação em boas práticas de fabricação para os processadores da Manta, os chamados “manteiros”. O projeto também prevê ações de divulgação da Manta, com suas características de produto artesanal e tradicional do território dos Inhamuns.

A expectativa é de que, com uma futura certificação do Selo ARTE, a Manta dos Inhamuns possa ser comercializada em qualquer parte do território nacional, conquistando novos mercados com agregação de valor ao produto. “Para os consumidores, será uma garantia de qualidade, com a segurança de que a produção é artesanal e respeita boas práticas agropecuárias e sanitárias. Para os produtores, são esperados ganhos diretos com a eficiência de custos e de qualidade nos processos de abate e beneficiamento da manta, além de aumentar a sustentabilidade da cadeia produtiva na região”, destaca a pesquisadora Lisiane Lima, da Embrapa Caprinos e Ovinos (Sobral-CE).

Ela ressalta que todo este processo de treinamento, voltado para diferentes públicos, é necessário para atender aos requisitos de controle sanitário, inspeção e boas práticas de fabricação do produto exigidos para obtenção do Selo ARTE. “Além disso, os produtores necessitam de uma organização dos agentes produtivos, com planejamento e melhoria da produtividade, de forma que haja regularidade da oferta e escala de produção que atenda aos mercados potenciais”, afirma Lisiane.

A Manta de Carneiro é produto tradicional no território dos Inhamuns, obtida por um processo que começa com a desossa do animal e posterior salga e secagem da carne ao sol ou sombra. A qualidade nutricional desta carne, obtida a partir de ovinos deslanados, tem apelo mercadológico, pois ela apresenta menos gordura entre os músculos, menor taxa de colesterol e menos calorias em relação a outras carnes, como a bovina. Além disso, a produção da Manta de Carneiro dos Inhamuns envolve uma tradição cultural, sendo característica de um território em que a ovinocultura tem rebanho de 311.911 animais (dados do Censo Agropecuário de 2017 do IBGE), distribuídos entre os cinco municípios (Aiuaba, Arneiroz, Parambu, Quiterianópolis e Tauá), configurando o maior polo de produção do Ceará, com destaque para a agricultura familiar.

Selo Arte

O selo ARTE é uma certificação que permite que produtos de origem animal, com processo de fabricação artesanal, possam ser vendidos livremente em qualquer parte do território nacional, eliminando entraves burocráticos. A certificação permite comercialização interestadual. Mais informações sobre os critérios para obtenção do Selo estão na página o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento: https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/producao-animal/selo-arte/selo-arte

 

Adilson Nóbrega (MTB/CE 01269 JP)

Embrapa Caprinos e Ovinos

Foto: Lisiane Lima

 

 

09/10/2020

 

A Associação Brasileira de Criadores de Ovinos – ARCO, através do Serviço de Registro Genealógico de Ovinos – SRGO, credenciou nesta quarta-feira três novos Inspetores Técnicos no estado de Santa Catarina. César Henrique Peschel Júnior, Tatiane Berto e Cíntia Kleis receberam suas tatuadeiras encerrando um processo que iniciou em 2015 e 2018.

O credenciamento inicia com o curso de capacitação, passando por vários estágios e provas até o final do processo, quando o técnico é efetivamente credenciado junto à entidade para trabalhar no auxílio de seleção e registro dos rebanhos ovinos.

“O estado de Santa Catarina passa a contar agora com sete inspetores técnicos o que demonstra a pujança da ovinocultura no estado e o crescimento latente dos rebanhos” diz o superintendente do SRGO Claiton Severo.

O presidente da Associação Catarinense de Criadores de Ovino – ACCO, José Volni Costa comemora a chegada de mais três técnicos credenciados para atender os criadores de ovinos com foco em genética, “o credenciamento dos novos técnicos representa a continuidade da atuação da ARCO na condução dos registros dos ovinos em Santa Catarina” diz o presidente fazendo um agradecimento especial aos técnicos que já atuavam no estado - Anildon De Oliveira Ribeiro, Paulo Osorio Martinez da Silveira, Volney Silveira de Ávila e Vilson Koroll – “foram estes que motivaram a implantação das principais cabanhas aqui no estado” diz Costa.

No site da ARCO no menu Associação você encontra a listagem total dos inspetores técnicos por estado - Inspetores Técnicos

17/09/2020

Diante da nova realidade devido ao Coronavírus (Covid-19) no Brasil, e visando a proteção à saúde de todos, estamos com equipe reduzida o que poderá acarretar em atrasos nos atendimentos.

Não paramos com nossas atividades durante esse período, mas estamos com um novo plano de trabalho. Os técnicos do laboratório trabalham em dias alternados para evitar muitas pessoas dentro do mesmo ambiente e diminuir o risco de contaminação. Apenas eles têm autorização para estar no laboratório. Os demais funcionários estão todos em tele trabalho. Apesar da não interrupção às dificuldades surgidas no novo processo afetaram e afetam a liberação dos laudos.

E ainda estamos enfrentando outro problema. Várias companhias aéreas cortaram voos internacionais para o Brasil devido à pandemia de coronavírus. Além disso, as empresas têm priorizado entregas de insumos para laboratórios envolvidos nos exames da Covid19 o que é inteiramente compreensível. Temos nosso estoque e nossas compras programadas, mas estão agora sujeitos a disponibilidade do mercado. Nossos fornecedores estão se empenhando ao máximo em nos atender dentro das possibilidades. É um momento que exige muito planejamento  e compreensão

Estamos fazendo o máximo para liberar os resultados sem colocar em risco nossos funcionários.

Pedimos desculpas por algum transtorno e contamos com sua compreensão.

 

Atenciosamente,

Laboratório Linhagen

28/10/2020

A diretoria da ARCO espichou o prazo para comunicados sem multas até o final do ano.

Como o cenário econômico em geral ainda não mudou muito a entidade resolveu manter a isenção até o dia 31 de dezembro de 2020.

"Entendemos que é uma iniciativa muito importante para nós, como entidade e para os criadores, nossos associados, para mantermos um arquivo zootécnico eficiente e atualizado sobre os rebanhos registrados" diz o presidente da ARCO, Edemundo Gressler.

 

15/09/2020

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento aprovou a nova redação do Regulamento do Serviço de Registro Genealógico de Ovinos, da ARCO.

A aprovação recente, em 1º de setembro, veio através do ofício 4/2020 da Secretaria de Defesa Agropecuária - Departamento de Saúde Animal – Divisão de Registro Genealógico Animal, referente ao Processo SEI – 2104.007167/2020-37.

Entre as principais alterações, está a participação, como novo membro, do coordenador do Colégio de Jurados no Conselho Deliberativo Técnico. A outra alteração e bem importante trata da permissão do ministério para a suspensão dos códigos 16 e 18 – relacionados a comprovação de parentesco – para os animais que receberam os respectivos códigos entre 1º de janeiro de 2020 até 31 de dezembro de 2020. 

Em relação a suspensão dos códigos a Superintendência do SRGO da ARCO afirma ser uma importante conquista em função da pouca oferta de laboratórios credenciados a realizar os exames de comprovação de parentesco (DNA). “Era uma demanda vinda por grande parte dos associados e que finalmente conseguimos o entendimento e a provação do ministério”, diz a médica veterinária Magali Moura, superintendente adjunta do SRGO da ARCO.

Outras alterações sugeridas também foram acatadas e a nova redação do Regulamento do SRGO pode ser conferida na íntegra AQUI!